Gravidez Ectópica

Gravidez Ectópica

Denomina-se gravidez ectópica aquela em que a implantação e desenvolvimento embrionário ocorrem fora da cavidade endometrial. Na maior parte dos casos esse processo ocorre nas tubas uterinas.

Essa condição é pouco frequente e atinge cerca de 1% das grávidas, sendo que os principais fatores de risco para seu desenvolvimento são: antecedente pessoal de gestação ectópica, cirurgia tubária prévia, episódios de infecção e inflamação dos órgão pélvicos, gravidez após procedimentos de reprodução assistida.

O diagnóstico é realizado pela anamnese e exame clínico, combinado à dosagem do Beta-HCG e do exame de ultrassonografia. Os sinais e sintomas mais frequentes são o atraso menstrual, dor abdominal e sangramento vaginal.

Diagnóstico precoce dessa condição é extremamente importante para possibilitar o tratamento imediato e assim, impedir suas complicações.

A complicação mais grave é a hemorragia intra-abdominal pela ruptura da tuba uterina que, se não for rapidamente diagnosticada, pode levar à morte da paciente.

O tratamento dos casos de gestação ectópica é, na grande maioria dos casos, cirúrgico, sendo a videolaparoscopia a modalidade de escolha.

O que fazer pós gravidez ectópica?

O ideal é que a mulher tenha acompanhamento psicológico para que os danos emocionais sejam os menores possíveis.
É importante destacar que na maioria dos casos é possível engravidar naturalmente após essa condição. No entanto, é imprescindível a realização de acompanhamento médico, para investigação de possíveis anormalidades nas trompas, infecções e inflamações que dificultem o caminho do embrião até o útero.

 

Para saber sobre as recomendações da Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia de São Paulo (SOGESP) sobre gestação ectópica, CLIQUE AQUI

Gostou deste post? Para saber mais sobre outras doenças ginecológicas, CLIQUE AQUI

No Comments

Post A Comment

WhatsApp chat